ONCE

domingo, 19 de junho de 2011

VONTADE DE VIVER




Lembro-me bem do dia em que essa raiz foi depositada no gramado da Escola, bem em frente aos ateliês de gravura. Estava totalmente seca. Pouco depois chegou um carregamento de ferro para a obra de ampliação do prédio. Foi tudo empilhado por cima daquele gigantesco tronco com um emaranhado de raízes (isso foi no ano passado, quando resolveram cortar uma boa quantidade de árvores para as obras na Av Antônio Abrão Caran).
Ficou ali, inerte como quando foi arrancada, esperando apenas que caísse um pouco de chuva. Pois é, agora está brotando. Algumas raízes teimosas insistiram no que poderia ser chamado de "vontade de viver" e acharam um jeitinho de dar vida novamente àquele monumento. Até que outra obra ponha fim a essa nova vida.


Um comentário: