ONCE

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O VULCÃO NA CASA DO TIBÚRCIO


Peguei a bicicleta e subi para o alto, na praça com as árvores cortadas. De lá pude ver o início de tudo. Achei que fosse no quintal da casa onde morava o Tibúrcio. O vento era forte e o cheiro asfixiava, fechava os pulmões. Não parecia que fosse a primeira erupção. Mas era no quintal daquela casa cinsenta mesmo. Começou a sair lava pelas janelas. Tudo estava ficando muito quente. Achei apenas que a cidade não iria durar muito. Na volta ainda olhei para o céu. Queimava como um forno a lenha, assando uma pizza de enxofre. Segui pelo caminho. Já não sabia da bicicleta, nem do Tibúrcio.

6 comentários:

Anônimo disse...

Впечатляющая идея, как скоро ожидается поступление новенького материала и вообще стоит ждать ?

ALBERTO ERALDO disse...

As imagens são bonitas, mas que sufoco mesmo estar lá na casa do Tibúrcio!

ALBERTO ERALDO disse...

As imagens são bonitas, mas que sufoco mesmo estar lá na casa do Tibúrcio!

Anna Luiza disse...

Bonitas imagens Fiote!!!

koyott disse...

Meu caro,gostaria de saber se o senhor é o cicloturista,que eu via na revista Bicisport,nos anos 90.Cheguei a conversar com o ''Fiote'' por telefone na ocasiao.grato, ari koyott

LuiZ FernandoS disse...

Quem será esse anônimo que disse:
The impressive idea, as soon is expected the entering of new material and generally does be worth awaiting?